Plasa 2015 Transfere Importância a Frankfurt

image
Outro ano passa, menos um pavilhão, menos empresas a exibir, menos um dia na agenda, menos conteúdo e menos gente e visitar. Parece que o PLASA perde cada vez mais atenção para a Prolight & Sound em Frankfurt e ninguém parece querer fazer alguma coisa sobre isso. É agora fortemente considerado uma feira doméstica para [no mercado Britânico] e um evento de networking, perdendo o poder que outrora tinha para os fabricantes como o momento do ano para lançar produtos novos.
Mais uma vez foi novamente dominado pelas três grandes distribuidoras britânicas: AC Entertainment, Ambersphere e White Light, e também pela ROBE como a marca preferida destes últimos anos.
image
Nesta edição contámos com uma Philips envergonhada – stand F30 no AC-ET -, não contámos com a presença da Martin Professional, com nenhuma grande de áudio e muito poucas de vídeo.
image
Aliás, a Green Hippo parece estar a perder o poder que já teve (de lembrar um stand com dois andares e gente a fazer fila para entrar), ficando para trás com as pequenas e médias empresas de eventos que se atrevem fazer vídeo como complemento à iluminação, e a perder o mercado high end para a d3 technologies.
Há vários produtos a destacar dos prémios de inovação escolhidos pelo PLASA [embora muitos deles tenham sido previsíveis] – comecemos com uma das marcas que patrocinam o evento:
Para competir frente-a-frente com o BMFL, a Clay Paky acaba de lançar o Scenius, com uma lâmpada de descarga de 1400W da OSRAM com maior intensidade que as antigas 1500W. Inclui um zoom ótico de 8º a 50º, tracking system para o foco, sistema de cor CMY e uma temperatura de 6000 kelvin nativa da lâmpada com CTO linear e CRI>95. É sem dúvida uma máquina de estrada, com 12 gobos rotativos em duas slots, todos eles com possibilidade de serem trocados, 7 cores, prisma rotativo, uma slot de gráficos e, o que mais chama à atenção, uma opção para colocar um difusor em modo flood e 16 facas de recorte, o que faz competir claramente com algumas máquinas da Vari*lite, colocando esta luminária tanto em Rock como em televisão. Note-se que não é uma total cópia do BMFL, mas traz a qualidade Clay Paky de que já estamos habituados.
image
Também de destacar é o novo recorde ColorSource Spot da ETC: há uns poucos anos a ETC lançou o magnífico Lustr+ e depois a segunda versão com um melhorado espectro de cor. Sem dúvida que o maior problema destas luminárias é o preço: ninguém duvida a qualidade.
image
Com o novo ColorSource Spot isto já não é tanto um problema, sendo este 40% mais barato que a outra versão. Inclui um sistema de 4 cores – vermelho, verde, azul e lima. Não é tão complexo como o sistema de 7 cores, mas traz um espectro rico com inúmeras escolhas e um output incrível. E como sempre é possível usar qualquer acessório ou lente comum ao Source 4.
Começa a ser comum ver também misturas de equipamento de iluminação com vídeo: foi isso que a Ayrton trouxe ao PLASA e se destacou também nos prémios de inovação: o fruto de uma mistura de um painel quadrado de LEDs com uma LED Wall, tudo num moving-yoke, ao estilo de qualquer luminária robótica.
image
Chamam-lhe DreamPanel Twin, e é impressionante pensar na quantidade de possibilidades gráficas que esta máquina traz. Quem originalmente pensou na reprodução gráfica 3D com iluminação LED foi a francesa Chromlech, agora extinta, mas que deixou um legado impressionante para empresas como a Ayrton. O painel de vídeo tem um pitch de 6mm, o de luz tem uma matriz de 8×8 com beams de 6º e uma intensidade de 73 candelas por lúmen. Ver vários destes num palco em demonstração [como esteve em Frankfurt] é uma experiência pela qual qualquer geek de iluminação deve passar.
Temos também que falar dos novos servidores de vídeo da d3 Technologies – esta empresa britânica cresceu nos últimos 2 anos de uma maneira tal que não têm capacidade de responder a tanta procura. Para não falar que mais que duplicaram a sua equipa de vendas e a equipa de suporte neste tempo.
image
O servidor premiado foi o 4x4pro, com 8 layers de vídeo 4K ou 32 layers de vídeo HD. A resolução total são uns impressionantes 16K. Inclui duas portas de ethernet de 10Gbit/segundo (sim, duas!!) de modo a poderes transferir todo o conteúdo em minutos. Ao contrário de muitos outros servidores, é possível trocar as placas gráficas, sendo possível trocar de 16 outputs HD (DVI/3G-SDI) para 4x4K Display Port.
É também relevante olhar para o Robe DL7S Profile, também da extensa lista de prémios, com novos LEDs e um sistema de 7 cores, e uns impressionantes 800W de output.
Como não podemos falar de tudo, terminamos com o ciclorama de LEDs da Robert Juliat – Dalis cyc light. Sabemos já a qualidade incrível desta marca francesa, mas é de notar o excelente trabalho feito para tirar 300W de uma luminária de ciclorama, com refletores assimétricos. Foi especificamente concebida, com a ajuda da Laser Imagineering, para aplicações como estúdios de televisão, teatro e grandes palcos. Inclui também uma extensa gama de cores, um a luz assimétrica sem hotspots e, a pensar nas suas aplicações, não tem nenhuma ventoinha interna, sendo completamente silenciosa. Encaixa-se perfeitamente em qualquer casa de Ópera ou Coliseu.
Finalmente é de fazer referir que a associação PLASA e a ESTA, que estiveram juntas por 5 anos, romperam a sua parceria, passando a ser duas instituições diferentes.
Para o ano vemo-nos no Olympia, muito perto do extinto Earls Court de que todos temos saudades, um mês mais cedo que esta edição [inícios de Setembro].

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

scroll to top
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com